1ª Parada | Uruguai – Cabo Polonio

Caminho percorrido

Cabo Polônio

31 de agosto

Chuy, Rio Grande do Sul, Brasil.

Já atravessando a fronteira com o Uruguai. Vou pegar transporte até Barra de Vallisas, onde prepararemos a nossa atividade.

Frontera Uruguay - Brasil.

Santa Vitória do Palmar, Rio Grande do Sul.

Oficialmente, em território uruguaio....

Barra De Valizas/cabo Polonio.

La Paloma, Rocha, Uruguai  


Já nos preparativos do nosso encontro de sábado. Testamos a transmissão ao vivo, os equipamentos. Amanhã vamos conversar com as pessoas, batendo de porta em porta, convidando a participar dessa grande roda de conversa sobre educação libertária, sobre os fundamentos do pensamento freireano e como toda e cada coisa chega, afeta, toca essa comunidade. Incrível a recepção, o acolhimento e abertura que encontrei nesse pedaço de mundo. Me lembra muito Arembepe, o Capão, na chapada Diamantina...

1 de setembro

Barra de Valizas

A simplicidade e abundância da vida da família que me hospedou solidariamente, aqui em Valizas. Me sinto em casa, acolhido. Conversamos profundamente até tarde, em meio a boa música, bom vinho, comida feita no fogão de lenha, ao lado da Chica, essa vira- latas carinhosa e o Gatico, o gato aventureiro que retornara nos últimos dias de alguma viagem. Obrigado Luna Borges (@lunaborges_lu) e Bruno (@bruno.n.techera ).

O quarto na casa de hospedagem 

Divulgando o encontro de 2/9


1er ENCUENTRO DE EDUCACIÓN POPULAR PARA LA REVOLUCIÓN | Uruguay

Barra de Valizas, Rocha, Uruguay I La Fomento

Sábado, 03 de Septiembre de 2022

Educador: Sócrates Magno Torres del Colectivo Paulo Freire, Brasil

❗️ ENCUENTRO PRESENCIAL CON TRANSMISIÓN EN VIVO ❗️

LINK EN VIVO: https://youtu.be/U_WUfDRvZuY

HORÁRIO: 10h a 15h [ Intervalo: 12h a 13h ]

Abierto y Gratuito!

🔸Organiza y facilita: Luna Borges y Bruno Techera (Uruguay) 

2 de setembro

Cabo Polonio  

Já sentia e agora tenho certeza que será uma caminhada de muito aprendizado. Só nesses dois dias de convivência com essa família, já compartilhamos sobre culinária, cultura, política, geopolítica, formas de viver e ler o mundo. Aprendi sobre a Murga, uma modalidade artística que envolve teatro, música, poesia, dança e muita crítica social e política. Estou encantado com esse estilo. Vamos em frente.

Hora do banho. 14°C. Bora lá...

O educador tem que ir onde o povo está...

📷 Luna Borges

Dormir bem acompanhado é essencial nessa caminhada. Além de aquecermos do frio, uma boa dose de afeto...

3 de setembro

Barra de Valizas

Já a caminho da nossa roda de conversa...

A roda de conversa

O objetivo das rodas de conversa é conhecermos a vida e obra do educador Paulo Freire, assim como debatermos os principais fundamentos do pensamento freireano. Para isso, trouxemos alguns vídeos com falas do próprio educador, assim como outros que ilustram essas ideias.

Uma das principais bases da abordagem freireana na roda foi a de que "a leitura do mundo antecede a leitura da palavra".

Além disso, debatemos a afirmação de Freire de que: "quando a educação que não é libertadora, o sonho do oprimido é tornar-se opressor ".

Finalizamos com o conceito de "inédito viável , em contraposição à utopia.

Fotos do lindo encontro de Valizas. Um encontro que superou expectativas pessoais e coletivas. Também foram geradas preocupações, conclusões, emoções, reflexões e esperanças. Queremos agradecer novamente a todas as pessoas que fizeram do encontro uma realidade, esperamos que todas as pessoas tenham gostado e que este seja o começo de uma revolução a partir de uma rede de educação popular e libertária.

No intervalo da nossa primeira roda de conversa. Muito feliz com a participação, sensibilidade, acolhimento das pessoas. Tanto a minha, enquanto educador, quanto aos fundamentos do mestre Paulo Freire...

Na roda estavam presentes 68 pessoas, e várias viajaram 300 km para participarem. Ouvimos sobre como as concepções de Paulo Freire chegam na região, como são abordadas, quais práticas sociais são desenvolvidas nas escolas. Ocorreram debates a respeito do ensino não-formal, no contraturno, de como as ações deste ensino estão permitindo que educandos e educandas tenham um olhar mais crítico para com o ensino formal.

Não tenho como descrever o dia de hoje. Muitos afetos, aprendizados, trocas, muita emoção compartilhada. Obrigado, Barra de Valizas. Amanhã, parto para Montevidéu, mas deixo um pouco de mim aqui, assim como levo muito de cada pessoa que participou.

Depoimentos

“Ficamos agitados entre compas do Programa de Educação Popular, escolhemos deixar-nos levar pelo impulso a uma proposta que nos ressoava mas que, ao mesmo tempo, desconhecíamos.

Pelo desejo de encontro com outras experiências, pela vontade de colar uma escapada às dunas mais belas do país ou pela presença dessa palavra com a qual escolhemos reencantar-nos, partilhamos uma aula num contexto particular o "Encontro de Educação Popular para a Revolução" com @socratesmagnotorres do Coletivo Paulo Freire-Brasil, vizinhos da vila de Valizas e compas da Ludopedagogia de La Mancha.

Podemos dizer que foi mais uma troca de sementes, necessária e oportuna para nos apaixonarmos por este enredo revolucionário coletivo, permanente, feminista e popular.”

Andre Ita  (Colectivo Paulo Freire América Latina / Programa de Educación Popular).

“Que lindo Fer fue muy eficaz!!!! Esto llena de conocimientos felicitaciones.”

Olga Mary Pereira

4 de setembro

Cabo Pollonio

Caminhada diária junto com as amizades daqui. Ontem foi um dia muito frutífero, especial. Muitas pessoas viajaram até mais de 300 Km só para participar da nossa roda de conversa. Hoje, parto para Montevidéu. Ajudem para que essa jornada continue, no link da vaquinha na descrição do perfil.

Roda de conversa agendada em Montevidéu. Dale!

Com Luna Borges e Bruno Nicolas Techera em Cabo Pollonio.

Foi uma estadia solidária, com muito aprendizado e afetos. Obrigado, @lunapramudarsp e @bruno.n.techera pela acolhida. Sigamos juntos, pois os desafios da educação Libertária são contínuos....

2ª Parada | Uruguai – Montevidéu

Caminho percorrido

Montevidéu

4 de setembro

A chegada

Boa noite...

📷Alejandro Ramírez


uma cena cotidiana 

5 de setembro

Conhecendo os espaços com Gabriela Tedeschi Cano e Camilo Alvarez Lopez em Montevidéu.

Ver pessoalmente o que era uma pesquisa por imagens, pouco tempo atrás. Realização é a palavra.

Roda de Conversa

Belíssima roda de conversa com educadoras. Percebemos o quanto estamos conectados com uma luta comum por uma educação libertária, no ambiente não formal de aprendizagem. A importância da educação popular para a mudança da escola formal. Diálogo fluído, afetivo e afetuoso que nos faz perceber que apenas precisamos ligar esses diversos pontos, corações e mentes para transformarmos a nós mesmos, nosso território, o mundo...

 Foi muito boa, conversamos um pouco sobre a vida de Paulo Freire e  alguns de seus fundamentos, como: “a leitura de mundo precede a leitura da palavra”; “quando a educação não é libertadora o sonho do oprimido é se tornar o opressor”... Finalizamos com a questão do “inédito viável’.

Permeamos muitas coisas, foram momentos muito fortes de escuta  sobre como enxergam a educação popular. È fabuloso ver o quanto o pensamento de Paulo Freire é respeitado.

Depoimento de Camilo Alvarez Lopez

“Ontem o Centro Martin Luther King - Uruguay  completou 10 anos e na Área de Educação Popular do Centro aproveitamos para trocar e bater papo com Sócrates Magno Torres que está de passagem pela América Latina com a” tocha” de Paulo Freire.

Nestes anos, impulsionamos a educação popular em muitos cantos do Uruguai, com nossa proposta de formação e fortalecendo organizações sociais em diferentes cantos. Sem nenhuma imprensa, com muita solidariedade e militância. Uma tarefa imprescindível e constante, além de outras tarefas que tivemos. Nunca deixe a batalha de baixo e para a esquerda.

Algo necessário é agradecer, ao/as irmão/as de Cuba do Centro Memorial "Martin Luther King" que estão sempre perto, partilhando, apesar da distância; ao compasso dos bachi populares, Fernando Lazaro, pelo que fizemos juntos e o aprendemos; a Vicente Willes e outros compassos do Movimiento de Trabajadores Rurales Sin Tierra que são guia; ao Oscar Jara por estar sempre;  à Pilar Ubilla que nos deixou o ano passado, mas ainda se aninha nos nossos corações, que foi artífice dos inícios deste projeto de educação popular. 

Continuaremos a percorrer cantos, vilas e bairros do nosso país onde há lanternas da educação popular acesas.”

6 de setembro

Montevidéu me recebeu de braços abertos. Apenas com o nosso primeiro encontro em Barra de Valizas, já temos uma reverberação muito grande que chegou aqui e por conta da nossa roda de conversa, aqui, Buenos Aires já aguarda ansiosa nossa presença em uma formação na Biblioteca Popular Paulo Freire. Estou muito feliz em seguir nessa missão que depende de cada pessoa que possa contribuir para seguirmos na caminhada...

6 de setembro

"...Se me perguntarem o que é a minha pátria direi:

Não sei. De fato, não sei

Como, por que e quando a minha pátria

Mas sei que a minha pátria é a luz, o sal e a água

Que elaboram e liquefazem a minha mágoa

Em longas lágrimas amargas.

Vontade de beijar os olhos de minha pátria

De niná-la, de passar-lhe a mão pelos cabelos..."

Vinícius de Moraes

Visita ao Colégio Paulo Freire – Montevidéu – Uruguai

Estou impressionado com o nível de consciência e compromisso com os ensinamentos de Paulo Freire, nessa escola. Não é apenas um nome, mas a efetiva prática freireana. As pessoas envolvidas falam, muito mais que com entusiasmo e conhecimento, mas com uma emoção sobre o trabalho do nosso patrono da educação. Parabéns à rede de colégios Paulo Freire, em Montevidéu. Amanhã, parto para a Argentina e já com uma sensação de dever cumprido em terras uruguaias...

Essa araucária, árvore protegida por leis ambientais aqui no Uruguai, fica no meio do pátio da escola. As crianças que estudam aí são ensinadas desde cedo que são as guardiãs dessa árvore sagrada. Crescem com consciência ambiental, a partir dessa convivência com essa maravilhosa dádiva da natureza. Sigo encantado com a forma de abordagem educacional do Colégio Paulo Freire. Parabéns à Silvia, que me recebeu tão entusiasmada e contagiante com as ideias e, sobretudo, à prática freireana...

Presente que ganhei no Colégio Secundário Paulo Freire...

8 de setembro

Já a caminho do próximo destino: Buenos Aires...

3ª Parada | Buenos Aires – Argentina

8 de setembro

Visita a “Universidade de los trabajadores”. Uma importante experiência de educação popular, a partir de uma fábrica recuperada, em Buenos Aires.

O contato com o pessoal da Universidade dos Trabalhadores foi muito interessante porque trouxe um panorama da educação popular na Argentina., inclusive indicando vários lugares possíveis de visitar. Percebe-se o nível  de organização grande. Há diversas iniciativas que estão muito além de nós, por conta das necessidades, das crises mais agudas que passaram desde os anos 90, em 2001 sobretudo. Segundo o educador Sebastian, após estas crises o quanto a educação popular e por conta da crise econômica, cresceu muito a economia solidária.

9 de setembro

Vídeo Whats

 Este próximo viernes, 09 de septiembre 2022, continuamos el “Diario de clase”, desde Barrio Lamas, Buenos Aires, Argentina, en la Biblioteca popular Paulo Freire. 

Ciudad Autónoma de Buenos Aires

 Não tenho como descrever a receptividade dessa comunidade. O brilho nos olhos, o arrepio da pele de todas as pessoas, das mais diversas idades. Paulo Freire é uma referência para a luta latino - americana contra qualquer tipo de opressão. Foi um encontro revelador e muito emocionante. Saí afetado profundamente...

10 de setembro

Plaza de Mayo  - Buenos Aires, Argentina 

Notícia do mundo de cá...

Parque Lezama - Buenos Aires, Argentina 

Sendo testemunha participante da história política e social da América Latina. Já cheguei ao local do ato pró Cristina Kirchner...


11 de setembro

Cronograma

Yo no te pido nada

"Yo no te acepto nada. 

Alcanza con que estés 

en el mundo

con que sepas que estoy 

en el mundo

con que seas

me seas 

testigo juez y dios. 

Si no

para qué todo".

Idea Vilariño.

Idea Vilariño

Finalizando a estada em Buenos Aires...

 Cozinhando para os novos e queridos amigos. Feijoada, é claro. Não me perguntem como consegui os ingredientes...

Retiro, Distrito Federal, Argentina.

Domingão. Já me preparando para ir para Santa Rosa, Lá Pampa, onde farei uma roda de conversa em uma escola secundária, chamada Paulo Freire. O diretor nos escreveu dizendo que é uma escola que segue os princípios freireanos. Serão mais de 600 Km até chegar lá. Bom domingo para todo mundo...

Para colaborar para que essa viagem continue, quem puder, pode fazer um pix para: socratesri@yahoo.com.br

Despedida de Buenos Aires

4ª Parada | Santa Rosa – Argentina

Suipacha

" ...Janela de ônibus é danado pra botar a gente pra pensar. Ainda mais, quando a viagem é longa..."

Miró da Muribeca

Santa Rosa foi um local que não estava planejado, mas quando tomei conhecimento de um Colégio, no centro da Argentina, soube da qualidade do trabalho, então foi importante mudar o rumo previsto e viajar para conhecer esta experiência

12 de setembro

Santa Rosa (La Pampa)

Vamos para mais um dia do Diário de Classe...

Encontro com equipe do Colégio Secundário Paulo Freire. Foi uma conversa muito agradável, com professores e direção

Diretor do Colégio

“Agradecidos por ser parte de la cartografía de los afectos...elogiando la locura...sintiendo esos pasos que acompañanan esta revolución silenciosa pero muy activa! Hoy no somos iguales a ayer! Gracias amigo querido! Desde la trinchera pampeana siguiendo la inspiración del maestro”

Professora

“Poxa! Eu sempre gostei muito de Paulo Freire e sempre pensei em conhecê-lo e vejam só hoje: recebemos ele aqui, na nossa escola, é como se fosse o próprio “Paulo” a conversar pessoalmente. Jamais iria imaginar que alguém fosse descobrir a nossa escola, aqui neste fim de mundo e vir de um Coletivo Paulo Freire do Brasil falar conosco.”

Regalo que me dieron en Santa Rosa. Hay tantos buenos recuerdos y afectos que llevaré conmigo por el resto de mi vida...

13 de setembro

Santa Rosa (La Pampa)

Saindo para Bahia Blanca, deixando um pouco de mim e levando também um pouco dessa cidade. Fiz questão de vir aqui, mesmo fora da melhor logística para o trajeto, mas valeu muito a pena. O colégio, as pessoas que trabalham nele me afetaram e me cativaram. O diretor, Alejandro, uma pessoa sensível e dedicada, faz da escola uma extensão da sua própria vida e o corpo docente e as pessoas que trabalham na escola  são como uma verdadeira família freireana. A sala de professores não é aquele ambiente hostil que estamos acostumados a conhecer. Foi uma experiência e tanto! Espero poder voltar um dia...

5ª Parada | Bahia Blanca – Argentina

13 de setembro

Bahía Blanca, Argentina  

As paredes  da cidade falam...

Martes 18 ha visita a La Nave - Espacio cultural

Visita para uma roda de conversa em uma ocupação artística e cultural com educação popular, circo, teatro, artes plásticas. Me lembrou o Centro Cultural Arte em Construção, em Cidade Tiradentes. Impressionado com o nível de organização dos movimentos e coletivos por aqui e o quanto Paulo Freire está presente. Muita coisa para aprender...

Um pouco do histórico do local: na cidade existiam antigos galpões que pertenciam à empresa ferroviária e que estavam abandonados, desde a época do presidente Menen. Este espaço estava repleto de uniformes e alimentos, passaram anos abandonados e quando conseguiram abrir, estava tudo podre, tudo acabado, então começaram a fazer mutirões e criaram a escola de circo, teatro, de arte em geral, que é a La Nave. É uma iniciativa muito boa de jovens que se formam lá e tem uma base freireana muito forte. Há pessoas que desde criança estão lá e hoje são professores, cursando a universidade de Ciências da Educação (que equivale ao curso de Pedagogia no Brasil). É uma experiência que lembra muito o “Pombas Urbanas” da Cidade Tiradentes/SP. Fizeram a ocupação da construção que era um supermercado, foi realizado todo um trabalho de resistência e hoje já estão consolidados, mas ainda têm dificuldades para angariar fundos, devido à burocracia, mas estão trabalhando muito bem.

Serigrafia Campoy em Bahía Blanca

“Muito bem recebido para a janta, ontem. Me senti como se tivesse revendo velhos amigos e companheiros de luta...”

Presente que recebi em Bahia Blanca...

14 de setembro

Bahía Blanca

Impressionante como se respira Paulo Freire, aqui. Conversava ontem com o Orlando, que está me hospedando solidariamente, hoje. Ele iniciou a universidade no curso de Ciências da Educação, o equivalente à nossa Pedagogia, e me dizia que a base era Freire. Enquanto isso, no Brasil, temos mais ensinamentos freireanos fora da universidade. No frigorífico recuperado que vou visitar, essa também foi a base para educar, alfabetizar e fazer formação política, ao mesmo tempo. Temos muito o que aprender com os hermanos...

Visitando o frigorífico

Aqui é um frigorífico recuperado, que tem uma história longa e bastante interessante: este frigorífico quebrou na época do Menen e os trabalhadores do local perceberam que para fazerem a administração do frigorífico como um tipo de cooperativa precisavam estudar/pesquisar, pois não entediam nada, uma vez que estavam ligados ao trabalho braçal e muitos não eram alfabetizados. 

Começaram, então, a ter contato a obra de Paulo Freire, que além da alfabetização, também trazia a consciência política. Este foi o caminho para concretizarem este processo. Hoje estão funcionando, mas foi uma tarefa muito difícil: foram enganados por pessoas que perceberam que eles não tinham acesso à informação, e nem tinham um aprendizado, uma vivência, nem uma visão de mundo. Ficaram com dívidas grandes porque roubaram o lucro deles uma vez que nem tinham conta em banco. 

A partir das abordagens freireanas, começaram a ter acesso à informação. Hoje, pessoas que eram analfabetos no período, estão na universidade, como é o caso de Orlando, que me acolheu e hospedou, que está fazendo o curso de Pedagogia e em um anexo que tem aqui (do frigorífico) estão montando uma escola, um centro de educação para jovens e adultos. É um lugar que está em ruínas, uma construção de 1870, mas estão começando a fazer um mutirão para montar a escola, que receberá o nome “Paulo Freire” e, como possuem uma boa articulação com a escola de arte de Bahia Blanca, estão com a ideia de elaborarem uma escultura de Paulo Freire para colocar na entrada da escola, como agradecimento, um reconhecimento ao grande educador.

Miércoles, visita frigorífico recuperado Incob. A las 13 hs inicia clases escuela de adultos pero se puede ir desde las 11 a recorrer y conversar con los obreros y luego estudiantes..

Miércoles 18:30 hs. Escuela de Artes Visuales, conversatorio con docentes, estudiantes de escuela de artes  y universidad y abierto a todo público.

Serigrafia Campoy

“Celebrando o mês da educação popular, é uma grande alegria convidá-los para o bate-papo aberto a realizar nesta próxima quarta-feira, nos visita desde o Brasil, Sócrates Magno Torres, este grande Mestre educador e divulgador dos princípios de Paulo Frei. @[1:10] dará um bate papo na escola de artes visuais (Zapiola 247) da Baía Branca às 18h.

Este bônus faz parte do ciclo de bate-papo EM MODO FREIRE, que começamos no ano passado em comemoração aos 100 anos do seu nascimento. Esperamos por vocês...”

15 de setembro

Depoimentos - Serigrafia Campoy

“Muy recomendado el conversatorio, ayer aqui en Bahía Blanca disfrutamos de una amena charla con profes y alumnos... la charla es muy motivadora”.

“Socrates espero que esté todo bien tu viaje. Muchas gracias por compartir este recorrido , somos, existimos, hay por abajo un gran tejido  de andares y experiencias freireanas.... que hemos sido afectadas por esa otra pedagogía...  y somos revolución. Es hermoso encontrarnos.”

6ª Parada | Puerto Madryn – Argentina

15 de setembro

Já em Puerto Madryn, mas ainda na ressonância de Bahia Blanca. Uma cidade que me acolheu freireanamente, também. Tenho feito amigos e reconhecido pessoas que também estão nas trincheiras da luta por uma sociedade mais justa. Sigamos a nossa cartografia de afetos pela espinha dorsal da América Latina....

Este encontro, como os demais, foi bastante produtivo. A atividade foi muito bonita, cada dia mais sintonizada, trazendo as coisas que aprendemos nos diferentes lugares  para  ir aplicando, assim fico cada vez mais sensível a cada abordagem.

A roda de conversa foi realizada em uma escola pública secundária de artes. Participaram jovens, professores, alunos, num encontro Intergeracional. Antes de entrar no aprofundamento sobre Paulo Freire, trabalhamos a questão dos afetos, de uma educação dos afetos, da importância dos afetos para a transformação de si próprio e, depois, da sociedade. A partir disto, discutimos a questão da leitura de mundo, o que tem trazido uma sensibilização grande para que, depois, entrássemos mais profundamente  no pensamento freireano. Iniciamos com um vídeo curto sobre a vida de Paulo Freire.

Um tema que surgiu foi a “normalidade”, o que motivou uma boa discussão sobre as pequenas revoluções, que se juntam com outras; as “revoluções” vão se realizando a partir de cada ponto, de cada lugar. 

Os participantes conhecem bastante Paulo Freire, estudam muito sobre ele, inclusive nesta escola de artes, o que desencadeou a discussão a respeito da importância da arte e da sensibilização estética como essencial ao desenvolvimento humano. Após o término, muitos vieram parabenizar o encontro, emocionados, agradecendo o momento.

Depoimento de uma aluna 

“ Gracias por permitir que desde nuestro pequeno lugar podemos hacer grandes cosas por el mundo.”

16 de setembro

Já saindo para me aprofundar na Patagônia Argentina, daqui serão 17 horas de viagem, até Rio Gallegos, rumo ao Sul. Será a última parada antes da Terra do Fogo, onde farei uma conferência, trazendo o legado de Freire e a questão ambiental, exatamente no dia do aniversário do nosso educador maior e patrono da educação no Brasil. Aqui, em Puerto Madryn, foi emocionante termos jovens e adultos juntos, em uma escola de artes. Muitos afetos...

Chubut Patagonia Argentina

Avançando Sul a dentro. Próxima parada: Rio Gallegos. Última parada, antes do Fim do Mundo. O educador tem que ir onde o povo está...

17 de setembro

Río Gallegos

Sabadão, descansar depois de uma maratona frenética. Cerveja é cara aqui na região. Comprei essas duas no supermercado e, como não tem geladeira no quarto, coloquei do lado de fora para gelar. Tá 4°C...

19 de setembro

Paso Integración Austral. San Gregorio, Chile

Me preparando para cruzar o Estreito de Magallanes, no Chile. Depois retornamos à Argentina para seguir viagem até a Terra do Fogo...

7ª Parada | Terra do Fogo - Rio Grande - Ushuai – Argentina

A Terra do Fogo é um arquipélago situado na extremidade sul da América do Sul, formado por uma ilha principal (a Ilha Grande da Terra do Fogo, muitas vezes chamada igualmente Tierra del Fuego) e um grupo de ilhas menores. Sua superfície total é de 73 753 km² (semelhante ao território da Irlanda), sendo o arquipélago separado do continente sul-americano pelo estreito de Magalhães. A ponta mais a sul do arquipélago é o Cabo Horn.[1] Politicamente, o arquipélago está dividido entre o Chile a Argentina.

19 de setembro

Rio Grande (Terra do Fogo)

“Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff, levou-o a descobrir. Eles viajaram para o sul. Ele, o mar, estava além dos altos médios, esperando. Quando o menino e seu pai finalmente alcançaram aqueles picos de areia, depois de muita caminhada, o mar explodiu diante dos seus olhos. E foi tanta a imensidão do mar, e tanto o seu fulgor, que o menino ficou mudo de beleza. E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai: - Me ajuda a olhar.”

Eduardo Galeano, O Livro dos Abraços

I.P.E.S. Paulo Freire  · Rio Grande, Argentina 

“Enviamos el marco de referencia de nuestra Semana Freireana y la confirmación de la inclusión del profesor Sócrates Magno Torres con su conversatorio: “Diário de Classe – Um mochilão libertário até o fim do mundo e além”, el día lunes 19 de septiembre a las 21.00 horas.

En cuanto esté confeccionado enviaremos también el flyer de difusión.”

Agenda confirmada na Terra do Fogo

Hoje serei um dos conferencistas na Semana Freireana, no I.P.E.S. Paulo Freire , Tierra del Fuego. Fazer trocas freireanas no extremo do nosso continente. O educador tem que ir onde o povo está. Inclusive, no Fim do Mundo...

20 de setembro

I.P.E.S. Paulo Freire -  Rio Grande, Argentina

Um pouco sobre ontem...

Costumo dizer que durmo para sonhar e desperto para realizar. Estar aqui, em frente ao que era apenas uma foto numa pesquisa pelo Google Maps é esse tipo de realização. Escutar, falar, trocar sobre Paulo Freire, no seu dia de aniversário, em uma terra tão distante é uma emoção incomparável. Esse é o diário de classe....

O amor, a ternura, a coragem e a força que se renovam nas trincheiras da luta por uma educação libertadora...

Costumo dizer que durmo para sonhar e desperto para realizar. Estar aqui, em frente ao que era apenas uma foto numa pesquisa pelo Google Maps é esse tipo de realização. Escutar, falar, trocar sobre Paulo Freire, no seu dia de aniversário, em uma terra tão distante é uma emoção incomparável. Esse é o diário de classe....

O amor, a ternura, a coragem e a força que se renovam nas trincheiras da luta por uma educação libertadora...

Um dia para celebrar a percepção de que não estamos sozinhos, somos muitos corações e mentes, na luta. Celebrar novas amizades que nos acompanharão para toda a vida. Obrigado, família @ipespaulofreire

Hasta pronto!

21 de setembro

Ushuaia - Uma parada para planejar as próximas etapas...

Passando para agradecer às pessoas que tem colaborado financeiramente para que o Diário de Classe siga pelas veredas da América Latina, deixando e levando os ensinamentos de Paulo Freire para uma educação libertadora. Para que possamos seguir essa jornada, necessitamos de mais doações pelo pix (que é mais prático) ou pela vaquinha virtual. Além disso, se estiverem gostando do que têm acompanhado, compartilhem as postagens para que mais pessoas se engagem nessa jornada. Desde já, agradeço a colaboração.

Pix: socratesri@yahoo.com.br   

23 de setembro

Fin del Mundo - Ushuaia, Argentina  

Quando comecei a sonhar com o Diário de Classe, tinha na cabeça a simbologia de chegar ao Fim do Mundo com a educação libertadora. Estar aqui, neste momento, faz com que um filme se passe na minha cabeça. Que me traz a certeza de que fiz boas, apesar de difíceis, escolhas. E também a percepção de que não se faz nada sozinho. Obrigado a todas as pessoas e a cada uma, que me estimulam e acreditam na educação...

Ushuaia

Sobre caminhar sozinho pelo mundo...

8ª Parada | Bariloche – Argentina

26 de setembro

Bariloche

Muitas atividades marcadas em Bariloche. Acomodado na casa de uma educadora que vive com seu companheiro, bem longe do perímetro turístico. Me sentindo bem cuidado, conversando muito sobre as realidades sociais e políticas da América Latina e me preparando para uma agenda extensa, nos próximos dias. Esse é o diário de Classe...

27 de setembro

Bariloche

Sobre os encontros de ontem. Como sempre, muitos afetos envolvidos. Aquela sensação de que não somos poucos e que sabemos voar...

28 de setembro

Pegando o transporte para a primeira atividade de hoje. O dia promete.

Fundación San José Obrero - Bariloche

Eu disse que o dia prometia. Estudantes de cerâmica de um projeto na periferia de Bariloche, ao saberem que sou brasileiro...

“Muchas gracias Fernando, Omar y a tod@s l@s integrantes de San José Obrero, por la generosidad de compartir sus experiencias con la Cooperativa Cuatro Soles de Villa Llanquin! Siempre sorprendida y orgullosa del trabajo que hacen allí! “

Claudia Contreras

Sindicato De Trabajadores De La Educacion (Sitraed)    

Formatura de Alfabetização de adultos 

vídeos

Bariloche

A presença do Diário de Classe em Bariloche foi emblemática. Uma cidade real, totalmente fora do circuito turístico. A periferia, suas problemáticas e projetos inspiradores que percorri ao lado da guerreira professora, maestra Cristina Marin @cristina.marin.3511 que conhece cada meandro, cada pessoa, instituição, foi fundamental para conhecer e fazer trocas frutíferas. Desde projetos de educação profissional, até de inclusão de pessoas com déficit intelectual, coletivo feminista, escola pública. Ainda tive o prazer de ficar hospedado em sua casa, juntamente com o seu companheiro Dario. Foram muitas horas de conversas profundas e cheias de significado. Cheguei ao Chile, mas ainda na ressonância de tudo que senti e vivi nos últimos dias... 

“Segunda-feira recebemos a visita do cara, educador popular brasileiro, Sócrates. Linda jornada compartilhando experiências e saberes e ouvindo muito!!! Obrigado Sócrates Magno Torres pela visita e bom caminho compa!!!”

Bachi Furilofche

9ª Parada | Quéllon - Chile

1 de outubro

Puerto Quellón, Los Lagos, Chile.        

"...Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,

Saborear, enfim, 

O pão da minha fome.

— Liberdade, que estais em mim,

Santificado seja o vosso nome..."

Miguel Torga (Liberdade)

3 de outubro

Liceo Bicentenario Paulo Freire

Encontro sobre a vida, a obra e o legado de Paulo Freire, no Liceo Paulo Freire, no Sul do Chile. A cada contato com as ideias do mestre educador, sinto mais forças para seguir na caminhada de uma vida por uma educação libertadora. Obrigado, Quellón, pela excelente receptividade e acolhimento. Saio com o coração mais aquecido, depois de tantas agruras no Brasil. Inclusive, essa foi a principal pauta na conversa com o diretor e o corpo docente. Conversamos longamente sobre a política no Brasil e América Latina...

"...Não estamos alegres, é certo, mas também por que razão haveríamos de ficar tristes?

O mar da história é agitado.

As ameaças e as guerras havemos de atravessá-las, rompê-las ao meio, cortando-as como uma quilha corta as ondas."

Vladimir Maiakóvski (E então, que quereis?)

A parada em Quellón foi muito receptiva. Ficaram muitos felizes em receber uma visita em lugar tão distante. Percebo esta receptividade maior em lugares mais isolados, como foi na Terra do Fogo ou em Santa Rosa, pois sentem-se muito orgulhosos, honrados com a visita. Quellón fica na extremidade sul do Chile, praticamente uma das últimas cidades da parte continental. Por ser distante, ainda tem um caráter mais provinciano.

Foi uma roda de conversa em que os alunos participaram. Não é uma escola propriamente freireana. Em conversa com o diretor e professores, percebe-se que têm os princípios freireanos, ainda um pouco distante das demais escolas que visitei, mas têm muito interesse por Paulo Freire e senti muita receptividade. Conversamos sobre política, pois a questão das eleições no Brasil ainda estava muito quente. Tiveram muito interesse em saber o que eu estava vendo nesta minha caminhada: que possuem traços em comum com educadores de outros lugares, que revelam receptividade nas salas dos professores e momentos dialógicos na sua prática.

Várias vezes citaram a felicidade em receber um educador em lugar tão remoto, pois eu poderia estar em grandes centros, em cidades maiores.

10ª Parada | San Fernando - Chile

4 de outubro

Viajei 15 horas, fui para a escola, fiz roda de conversa, viajei uma hora e meia para outra cidade.

Pronto para iniciar mais uma roda de conversa sobre a vida, a obra e o legado do educador Paulo Freire, na cidade de San Fernando, no Chile...

Aqui, em San Fernando, visitei uma escola pequena, como o da parada anterior. Sempre muito bem recebido por ser um educador brasileiro que vem falar sobre Paulo Freire, que está fazendo esta caminhada na América latina toda, inclusive nessa escola, mesmo sendo uma escola pequena, em uma cidade pouco conhecida, que tem um padrão mais agro, com uma estrutura um pouco maior.

Foi muito interessante. Os estudantes ficaram muito curiosos, tanto por Paulo Freire quanto pela viagem que estou fazendo. Surgiram muitas perguntas a respeito de minhas impressões sobre o que estou vendo e sobre o que motivou este projeto; ficaram encantados com a ideia de alguém sair e percorrer a América Latina, com o objetivo de concretizá-lo.

Disse a eles que o forte motivo destas viagens é porque me identifico muito com as concepções freireanas, porque a cada lugar que vou, saio de lá outra pessoa. Desta forma, quando sair daqui, já não serei mais o mesmo que chegou. Isto é o que me faz sentir vivo, me faz sentir um homem livre e esta libertação do querer mais, do conhecer mais é um movimento muito freireano. Muitos jovens manifestaram o prazer que aquele momento estava proporcionando, muitos começaram a me seguir nas redes sociais, e verbalizaram que a nossa conversa ficaria com eles por muito tempo.

11ª Parada | Concepcion - Chile

6 de outubro

Dia cinza em Concepción..

San Pedro de  la Costa

Chegando para mais uma roda de conversa, na região de Concepción, Chile. Uma escola essencialmente freireana, com mais de 500 estudantes. Uma verdadeira referência em toda a região. O Diário de Classe tem me proporcionado experiências muito fortes sobre como Freire chega em cada rincão do nosso continente. Tenho certeza de que poderemos fazer muitas trocas depois de toda essa jornada. Temos muito o que aprender no Brasil sobre o nosso próprio patrono...

"Visita ao Colégio Paulo Freire de San Pedro de La Paz, um estabelecimento educacional de dependência particular subvencionada, que atende os ciclos pré-basico e básico. Foi uma das melhores rodas de conversa realizadas até agora, com a participação de todo o corpo docente, trabalhadores da biblioteca, equipe administrativa. São pessoas freireanas, que conhecem  e estudam a obra de Freire. Em conversa com as professoras, elas relataram que estudaram Paulo Freire na disciplina de Sociologia, antes mesmo de entrar na Pedagogia. Infelizmente, no Brasil, praticamente não tem isto. Aqui no Chile há estes estudos.

Fiquei emocionado, mas uma emoção madura, porque percebi que consegui afetá-los de uma maneira mais profunda, pois reconheço que cada vez mais vou afinando as coisas, percebendo o que os toca mais. Constato que não é uma questão de conhecer mais Freire e sim uma questão de ser freireano. Desta forma, somando isso aos bons conhecimentos que já temos de sua obra, fica mais tranquilo realizar as análises.

Foi um dia muito encantador para mim; as pessoas, ao término da roda, ficaram conversando comigo, inclusive sobre temas que não havia abordado, como o método de alfabetização de Angicos, no Rio Grande do Norte; pude abrir o computador e mostrar vídeos que relatavam a experiência e mostravam o contexto social em que foi desenvolvida esta ação alfabetizadora, o que nos permitiu discutir a luta de classes e realizar outras abordagens. Foi um dia, realmente, muito, muito feliz.” 

Sócrates Magno Torres

Mais um presente que recebi na escola. Emocionante

En La Carretera -  Chillán Viejo, Chile. Próximo destino...

12ª Parada | Santiago - Chile

7 de outubro

Santiago - Chile

El Programa Interdisciplinario de Investigaciones en Educación, PIIE, es un Centro Académico de Investigación y Desarrollo, con una actividad permanente en el ámbito de la educación y las ciencias sociales, que ha mirado hacia el futuro del país y la región por casi 50 años.

Mais um encontro importante nessa caminhada. Pisar os passos que o mestre Freire fez e ser presenteado com uma obra quase inédita.

Com um dos autores, Rodrigo Vera Godoy

Colégio Paulo Freire -  Santiago, Chile

Ontem foi aniversário de 10 anos do Colégio Paulo Freire em San Miguel, Santiago do Chile. Foi uma festa linda. Incrível como as pessoas conhecem e respeitam tanto o nosso patrono. A passagem dele pelo Chile foi muito marcante por aqui. Tenho sentido a cada dia mais orgulho e admiração por esse grande conterrâneo...

8 de outubro

Pelo caminho...

Chegando para mais uma roda de conversa, na periferia de Santiago. O Educador tem que ir onde o povo está...

Escuela Pública Comunitaria - Recuperación de Estudios de Jóvenes y Adultas/os - Construimos Educación Popular, Crítica y Autogestionada

Encontro potente com jovens educadoras e educadores populares que fazem do ofício, uma luta e da luta, uma forma de mudar o mundo, a partir do seu território. Muito inspirador perceber, sentir, ser afetado pelo que essa juventude latino-americana vem, muito mais que fazendo, sendo, na revolução diária por um mundo melhor, a partir de uma educação libertadora. Paulo Freire, presente!!


9 de outubro

Interagindo com a cidade...

Escuela Pública Comunitaria

“Algunos registros de lo que fue el conversatorio con el compañero Sócrates Magno @socratesmagnotorres del Colectivo Paulo Freire de Brasil. Potente encuentro que dio lugar a conversaciones y reflexiones sobre la educación popular y el pensamiento de Paulo Freire, nuestras propias prácticas e inquietudes. Pedagogía del afecto y Pedagogía de la Pillería ✨💜

Gracias a todes quienes asistieron, al compañero por visitarnos y permitir estos intercambios de experiencias que nos dejan dando más de una vuelta a algunas cosas 💜”

13ª Parada | Coquimbo - Chile

11 de outubro

La Serena, Região de Coquimbo, Chile 

Mais uma escola Paulo Freire. Agora, no norte do Chile...

Territoriocoquimbo

"Territorio Coquimbo junto al equipo del Centro Mistraliano de la Universidad de La Serena se reunió con el educador popular y cientista social, Socrates Magno Torres, en un conversatorio sobre la vigencia del pensamiento del pedagogo y filósofo Paulo Freire.

Socrates Torres pertenece al Colectivo Paulo Freire de Sao Paulo y se encuentra haciendo lo que denomina una "ruta de clase", que consiste en un recorrido por América Latina para conocer a las instituciones ligadas al pensamiento y la obra de Freire 🗣️

Por último, el educador peregrino visitó el Colegio Paulo Freire, finalizando su recorrido por la región. Agradecemos su inspiradora visita!”

"Foi encantador. Esta escola, rural, foi indicada por um professor, pelo bom trabalho realizado. Situada no norte do Chile(mais de 500 km de Santiago), inicialmente não estava prevista em meu roteiro. Na primeira conversa com o professor,  que foi diretor da escola (uma pessoa extremamente agradável, freireana), já nos  identificamos.

 No dia seguinte, antes de irmos à Escola Paulo Freire, fizemos  uma visita também em uma instituiçao ligada à  universidade da região de La Serena, chamada  Fundação Gabriela Mistral e conversamos com alguns educadores.

Após esta parada, fomos à escola, que fica em região fora do centro urbano, com uma paisagem linda. É uma escola privada, que recebe verba pública para oferecer, gratuitamente, o ensino a todos da região. Nela estudam 109 alunos de familias de diferentes classes sociais.

Os professores disseram da felicidade em trabalhar nesta escola; alguns trabalharam em outras escolas, anteriormente, e se sentiam infelizes, chegando a pensar em desistir da profissão, mas, quando chegaram a esta escola, acharam o seu lugar. É muito diferente o prazer que sentem agora. Alguns dos docentes estudaram nesta mesma escola, seguiram a carreira e voltaram ali para lecionar. Isto gerou uma reflexão muito forte a respeito de uma escola freireana, enquanto política pública, que também cuida da saúde mental. Dei o exemplo de São Paulo onde, por dia, 8 professores se afastam das aulas por problemas de saúde mental. Na conversa com todos, apareceram questões muito fortes,  teoricamente fundamentadas, como o papel da escola como um ambiente de mediação social “ 

Sócrates Magno Torres

14ª Parada | Valparaiso - Chile

12 de outubro

Escuela de Medicina Universidad de Valparaíso

Um diálogo importante. Conferência na Faculdade de Medicina da Universidade de Valparaíso, Chile. Uma conversa sobre o olhar freireano  com docentes e estudantes de Medicina. O interesse por Paulo Freire é transversal, está em todas as áreas do conhecimento e da atuação profissional. Educar é um ato político. O educador tem que ir onde o povo está...

 “Hoje, foi um desafio muito grande, porque a conversa foi na Faculdade de Medicina, uma faculdade grande. Falar para o pessoal da Medicina exige outro tipo de abordagem. Falamos um pouco de saúde pública e a minha experiência na área pública, o meu olhar também para saúde, para o SUS, ajudou muito.

Foi no campus de San Felipe de Aconcagua, da Universidade de Valparaíso, envolvendo professores (as) da Sociologia, da Medicina, da Saúde Pública. Abordamos o panorama atual da América Latina; o recente plebiscito chileno, as eleições no Brasil, a perspectiva da construção coletiva, a educação para o afeto, a compreensão do inédito viável.

Havia um sentimento de decepção com o plebiscito sobre a mudança da constituinte... Trouxemos, então, a questão de que o que está acontecendo é uma revolução, que foi dado um passo e, ao mesmo tempo, que esse passo é resultante de uma construção coletiva. Compreenderam bem esta posição e também a de não ficar culpando o oprimido, por não ter consciência.

Foi uma boa discussão. Ao término, comentaram, fizeram perguntas e nos agradeceram por termos ido a um lugar tão distante levar esta reflexão que ajuda a mudar a forma de se enxergar a sociedade, de se enxergar a própria educação, pela maneira como se problematiza a educação básica, pois nós temos que mudar a educação básica para que a universidade mude.

Uma professora doutora falou que a conversa a tinha colocado numa situação difícil, pois, depois do que havia escutado e que a havia afetado (e ela tinha muitas inquietações a respeito disto), não podia deixar de agir... Ponderou o quanto a universidade é classista, o quanto é difícil atender o povo, porque as pessoas que chegam à Faculdade de Medicina são pessoas de classes mais privilegiadas e tendem a fazer especializações, visando trabalhar em grandes hospitais particulares. Desta forma, o atendimento público fica em segundo plano. Consideramos que a solução para isso é a Universidade começar a receber e formar pessoas de classes sociais originalmente oprimidas, que vão chegar com um tipo de pertencimento em relação ao seu território.

Nossa tarefa é tratar a saúde pública de maneira popular, da melhor maneira libertária, para que, chegando um jovem da periferia à universidade, ele, um oprimido, não se torne um opressor, como dizia Paulo Freire.

Temos que ter alunos egressos das classes originalmente oprimidas na estrutura social, que conhecem a pobreza, que conhecem a fome, que conhecem o frio; a partir da chegada desses alunos que chegam à faculdade, como esta, de Medicina, com uma leitura crítica do território, de sua realidade social, do mundo, é que se poderá transformar o ensino superior.

Concluímos o encontro com a análise da necessidade de trazer o pensamento freireano para o centro das discussões. Toda a educação libertária e suas respectivas abordagens e metodologias, têm que ter como pano de fundo, como base central, a luta contra a lógica do capital. “ Sócrates

13 de outubro

Universidad de Playa Ancha - Valparaíso, Chile

A Universidade de Playa Ancha (UPLA) é uma instituição autónoma do Estado, com tradição na área da Educação e que desenvolve também Ciências, Humanidades, Tecnologias e Artes.

Logo mais, roda de conversa sobre Paulo Freire. Esse é o Diário de Classe. O educador tem que ir onde o povo está...

Mais uma roda de conversa...

“O encontro foi um desafio para mim. Inicialmente, a pessoa que entrou em contato, ligada à academia, estava receosa, pois não me conhecia, procurou meu currículo Lattes, não encontrou, então pediu para falar comigo antes do encontro, querendo me conhecer: saber quem era eu, que proposta tinha... Antes de começar a conversa, esclareci que não era ligado à academia, que era um educador freireano, não um especialista doutor em Freire. Conversamos, esclarecendo que não faria uma conversa unilateral, mas uma conversa freireana; só sendo freireano é que as respostas chegam.

Foi um encontro muito bom. Envolveu o pessoal da Pedagogia, algumas alunas cursando o mestrado. Uma professora me abordou durante a roda, fazendo uma autocrítica ao seu trabalho, assim como uma crítica à academia como um todo: o quanto se distanciam da prática social e o quanto isto a tem levado a refletir sobre sua própria ação...” 

Sócrates

15ª Parada | San Felipe - Chile

13 de outubro


Academia de Humanismo Cristiano

Santiago, Região Metropolitana de Santiago, Chile

Chegando para mais uma roda de conversa...

Somos una Universidad participativa constituida por trabajadores, estudiantes y egresados, autónoma e independiente, pluralista y comprometida con lo público.

Contribuimos de manera crítica al desarrollo del conocimiento de las Ciencias Sociales, las Artes, las Humanidades, la Pedagogía y otras áreas del conocimiento y del quehacer científico y profesional, en los ámbitos de la docencia, la investigación, la creación artística y la vinculación con el medio, en concordancia con los requerimientos de un mundo global que es mirado desde Latinoamérica y que aporta en las escalas local, regional y nacional.

Formamos graduados y profesionales de excelencia con mirada interdisciplinaria, comprometidos con la inclusión y transformación social, con la promoción y defensa de los derechos humanos, la democracia y la justicia.

14 de outubro

Pedagogiabasicauahc – Universidad Academia de Humanismo Cristiano

“Hoy compartimos con el educador @socratesmagnotorres que es parte del colectivo Paulo Freire, un espacio de conversación necesaria

Gracias a nuestra estudiante Geraldine y la @escuelabasica.epc por la colaboración para que pudiera compartir con nosotres”.

15 de outubro

"...El Futuro no es un lugar donde estamos yendo, sino un lugar que estamos creando. El camino para llegar a él, no es encontrado, sino construido. Y el acto de hacerlo, cambia tanto al realizador como al destino..." Antonie de Saint- Exupéry

Gracias Chile. Hasta luego...

16ª Parada | Mendoza - Argentina

16 de outubro

Parque Central Mendoza

Tortura, ditadura, nunca mais!!!

17 de outubro

Universidad Nacional de Cuyo Ciencias Politicas y Sociales
Mendoza, Argentina 

Biblioteca Tomás Godoy Cruz Costa de Araujo
Lavalle - Mendoza

Hermosa Charla con @socratesmagnotorres "El arte y la educación como herramienta emancipadora" en la @bibliopujadas activando la Red de Biblioteca @biblioteca.populartomasgcruz

El bosque de los Libros (La Pega)”

“Iniciamos em Mendoza, às 11 horas da manhã, na Universidade Federal de Cuyo (https://www.uncuyo.edu.ar/), com uma roda de conversa com professores e professoras das Ciências Sociais e da Pedagogia.

Foi uma conversa muito boa e muito qualificada, porque tinha entre eles um professor de teatro e pessoas mais velhas, que conheciam a obra de Freire e não só a conheciam, como também aplicavam os seus fundamentos, há mais de 20 e 30 anos, assim como os de Augusto Boal, referentes ao teatro. Tivemos uma conversa bem profunda acerca tanto da Pedagogia do Oprimido quanto do Teatro do Oprimido.

Nós saímos de lá e fomos para uma escola pública, na periferia de Mendoza. Quando chegamos lá, havia um grupo de alunos e alunas da escola de Belas Artes, a turma do Superior, que estava fazendo um trabalho nessa escola. Era o seu primeiro dia lá.

Conversamos com a diretora, uma pessoa muito conectada com as ideias de Freire. Não só isso, mas uma pessoa lutadora, cujo marido é um jornalista, que foi muito perseguido pela ditadura, não só ele como toda a família dela.

 Essa turma de Belas Artes fará um mural na escola. Estavam realizando uma formação em direitos humanos, para inspirar a elaboração do mural e eu cheguei justamente nessa hora.

Realizamos uma explanação a respeito do que temos chamado de educação para afetar. Foi uma roda de conversa muito frutifera, com muita participação, inclusive com uma contestação de uma pessoa sobre o fato de Freire ter o seu lado católico, trazendo muito dessa igreja católica que estamos acostumados a ouvir, da Idade Média.

Neste momento, fizemos uma explicação também sobre a teologia da libertação, sobre Leonardo Boff, o que propiciou um entendimento muito bom, que pôde abrir uma visão diferente da que tinha essa pessoa: uma visão da igreja católica como bem hermética.

De lá, nós fomos a um encontro no Centro de Formação Docente, que também foi muito interessante, porque é um lugar mais afastado do centro de Mendoza, mais para a periferia. As pessoas estavam com uma ansiedade muito grande, porque algumas delas haviam participado da roda anterior e já haviam comentado sobre a minha participação, sobre a conversa, que tinha sido muito boa, e as pessoas ficaram ansiosas, com muitas expectativas. Talvez por isso tenha sido um dos encontros mais potentes realizados, até o momento.

Havia 30 professores e professoras que trabalham com alfabetização e foi muito forte essa coisa do afeto, essa coisa da prática freireana; a percepçãode de que não estamos fazendo essa caminhada, trazendo uma teoria ou um estudo. Não. Ficou muito claro que sou um esducador freireano e não um especialista em Freire. Então, a conversa foi muito rica.

Por fim, nós nos deslocamos uns 40 km para ir a uma biblioteca comunitária, na zona rural. Estava acompanhado por uma pessoa que esteve no primeiro encontro comigo, na Universidade, e que entrou em contacto com o pessoal da biblioteca. Fizemos uma intervenção que foi muito boa, bem simples, bem rica. Escutando muito, pois como eu tenho a questão das bibliotecas comunitárias, muito próxima, pudemos realizar um diálogo muito bom.

Tinha uma menina presente que era de outra biblioteca, que funciona há 90 anos, o que demonstra o quanto tempo o pessoal está trabalhando, utilizando várias linguagens. Falamos muito do papel da arte nesse processo de libertação, nesse processo de educação e fizemos um paralelo com o Brasil.

Recebi depoimentos emocionados de pessoas que participaram; também eu me emocionei em um determinado momento. Interessante isso de a gente se emocionar com alguma coisa que falamos todos os dias, mas, tem uma hora que, ao repetir essa coisa, num ambiente que está tão sensível, tão afetado, a gente se emociona. O dia foi muito bom!” 

Sócrates

17ª Parada | Córdoba - Argentina

18 de outubro

Córdoba, Argentina

Uma lenda da educação popular na América Latina. Tato Iglesias é fundador da Universidad Trashumante, amigo e discípulo de Paulo Freire. Foi longa e frutífera a conversa com esse mestre que percorreu o continente, nos anos 80, 90 e 2000, com um ônibus, fazendo formação e levando arte e olhar crítico pelos rincões desta terra sagrada. Ele está feliz com a nossa iniciativa itinerante do Diário de Classe. Um dia para ficar na minha história de vida, muito mais que para esse processo educativo. Só as nossas conversas já teriam feito valer a pena começar essa caminhada....

19 de outubro

Unquillo

Hoje fiz uma feijoada aqui, na casa da filha do Tato Iglesias. Estamos com outros trashumantes. Há uma simbologia nisso. Paulo Freire fez uma feijoada em um restaurante de um português, em Genebra. Isso para ensinar um prato brasileiro que até hoje é servido na capital suiça.  Ensinar a cozinhar, comer, oferecer o alimento. Esse é o Diário de Classe...

América Latina     

Nessa jornada, tenho revisitado memórias afetivas, experiências em que afetei e fui afetado, leituras de mundo e de palavras. Essas vivências tão potentes, do desafio de percorrer caminhos desconhecidos, começaram a acender uma luz muito forte sobre como pequenas mudanças no comportamento, nos hábitos, na forma como enxergamos e interferimos na nossa realidade, em diversos lugares e continuamente, podem mudar o mundo. Então, comecei a fazer anotações sobre tudo isso que tenho sentido, percebido e resgatado. Daí deverá sair uma publicação, além do Diário de Classe, sobre uma nova forma de observarmos e agirmos nessa construção coletiva de um mundo melhor. Quem viver verá... 

Saí de Mendoza na noite anterior, cheguei aqui em Córdoba, pela manhã, e fui direto encontrar com Tato Iglesias. que estava ansioso em me conhecer. Passamos horas e horas conversando, jantamos juntos, e eu me comprometi a ir à casa dele fazer uma feijoada.

Ele me colocou como um transhumante*: agora sou um educador transhumante. Trouxe pessoas da confiança dele, os mais próximos, também educadores, e pudemos ter uma longa conversa, com troca de impressões. Ele ficou muito encantado com essa minha aventura, com a disposição e disponibilidade para fazer isso. Ficou muito impressionado com os números: a quantidade de quilômetros que rodei e quantos vou rodar... Enfim, ficou impressionado com a iniciativa, disse que havia feito isso quando tinha um pouco menos do que a minha idade: “na sua idade, eu estava no pico de um processo semelhante e ver alguém Iniciando um processo desse (que ele chama de transumância), foi muito bom”.

* O conceito de transumância significa caminhar em direção ao melhor húmus, às melhores pessoas, à melhor terra. A transumância implica um caminhar constante e duplo: um para o exterior, para o encontro com os outros e outro para o interior de cada um, em busca de emoções, esperanças, sonhos e paixões que definem e orientam as nossas práticas. 

Conversamos longamente durante o dia e à noite fomos para uma reunião do grupo de educadores transhumantes que tem aqui, na região metropolitana de Córdoba, na cidade chamada Unquillo.

Essa reunião foi sobre uma ação que iriam fazer, na Universidade de Córdoba, uma intervenção que une teatro, dança, música e educação, que é mais ou menos a prática deles.

À noite reunimos mais de 10 pessoas e jantamos a feijoada, dentro da perspectiva   que eu falo sempre do  alimento, da oferta de alimento feito pela sua própria mão, como diz Mia Couto.  Cozinhar foi uma coisa muito interessante nesse processo; me despedi de Tato Iglesias e de Córdoba. À noite, eu desço para Salta e devo chegar lá, amanhã de manhã.

20 de outubro

Terminal Unquillo

Meu novo amigo...

Córdoba, Argentina

São tantas as histórias (que tive que registrar) de quando caminhei com o gigante de Big Fish, procurando outros lugares em que caibam o tamanho dos nossos sonhos! Com esse gigante, @ignara_vedeta, educador Trashumante, que carrega um coração e uma sensibilidade, tal qual o seu tamanho..

Universidad Nacional de Córdoba - Córdova, Argentina 

Me sentindo em casa...

18ª Parada | Salta - Argentina

22 de outubro

Em Salta

Dando um tapa no visu, depois de quase três meses. Aderi à campanha "Barbeiro também tem família"...

23 de outubro

24 de outubro

Salta, Argentina

Em Escuela Normal Superior "Gral. Manuel Belgrano" - Salta, Capital

Chegando para mais uma roda de conversa...

25 de outubro

América Latina

Para além de todo o aprendizado sobre educação, cultura, sociedade e política, que essa jornada tem me trazido, há uma forma nova de viver, que tenho descoberto e com a qual tenho me identificado muito. O viver com menos. Faz tempo que estou nessa corrente, mas, nos últimos tempos, minha percepção de que precisamos de pouco para sermos felizes, tem se aprofundado. Passar uns dias nessas cápsulas (não que queira viver assim), rodar milhares de quilômetros com duas mochilas que não são grandes, me fazem ter ideia de uma portabilidade da vida. Isso é um exercício de desapego, mas também de autonomia e liberdade. São esses caminhos, com pouca coisa nas costas e nos bolsos, mas, com o coração e a mente plenos, que quero viver...

19ª Parada | Rosário - Argentina

26 de outubro

27 de outubro

Radio La Hormiga 104.3
Rosário, Argentina 

Chegando para uma entrevista numa rádio e biblioteca comunitária de Rosário...

La mañana de Radioteca dedicada a la Educación Popular por FM La Hormiga 104.3. Nos visita desde Brasil el Educador Socrates Magno Torres junto a nuestra amiga Mónica Evangelist

Acerca de una "Cartografía de afectos" - Nos visita desde Brasil el Educador Sócrates Magno Torres.

Sócrates Magno Torres es de Brasil y en su Tarjeta de presentación dice (por ahora) "Educador Popular Peregrino Trashumante..."

Nos cuenta sobre la Cartografía de Afectos que está realizando por distintos puntos del Planeta... siempre con Paulo Freyre tatuado en su pecho.